Arquivo de etiquetas: pânico

Como Controlar o Medo de Andar de Avião

Existem muitas pessoas que têm medo de voar de avião. Os tremores e suores frios começam mesmo antes de o avião levantar voo!

Siga estas dicas para ter uma viagem mais tranquila:

  • Marque a sua viagem durante o dia, pois dará-lhe mais segurança.
  • Informe-se sobre o avião e o mapa de voo, o que lhe irá dar tranquiloidade.
  • Converse com outras pessoas: vai ajudá-lo a distrair-se do seu medo
  • Informe-se sobre as estatisticas: saber que a probabilidade de um avião cair é de 1 em 2.783.874 vai tranquilizá-lo!
  • Respire! Durante os momentos de mais tensão pode utilizar algumas técnicas respiratórias para se sentir mais calmo.

Como fugir ao Pânico

Para quem sofre de ataques de pânico, tudo o que queremos é evitar estes momentos ou fazer com que passem rápidamente.

Já aqui falamos das técnicas respiratórias e estas podem ser muito eficazes, mas existem também outras estratégias:

  • Passar um cubo de gelo por baixo dos olhos – vai criar desconforto e ativar o sistema parassimpático, diminuindo os sintomas de pânico
  • Abstração: é preciso algum treino, mas pode ser muito eficaz. Trata-se de mentalmente colocarmo-nos noutro local ou situação, evitando aquilo que nos está a procvocar o pânico.
  • Partilha: em situação em que habitualmente sofre de ataques de pânico (por exemplo locais com muitas pessoas), procure fazer-se acompanhar por algém com quem se sinta avontade e que saiba o que fazer se tal acontecer. Isto vai deixa-lo muito mais tranquilo

Da Ansiedade ao Panico

A ansiedade é uma fator normal para todas as pessoas. Sofremos de ansiedade devido a acontecimentos inportantes ou mesmo situações diarias como o transito.

A ansiedade é até benéfica para a nossa vida, pois impele-nos a conseguir melhores resultados.  O grande problema está quando a ansiedade se torna patológica.

A ansiedade patológica ou Sindrome da Ansiedade Generalizada trata-se de uma doença psiquiatrica que pode afetar as pessoas tanto fisica como psicologicamente. Para quem iobre deste transtorno a ansiedade aparece em quase todas as circunstâncias e mesmo de forma inesperada, podendo dar origem a ataques de pânico.

Os ataques de pânico sao “picos de ansiedade” em  que os sintomas de tornam incontroláveis dando a impressão que se pode morrer a qualquer momento. O coração acelarado, a falta de ar e o sentimento de falta de controle causam cada vez mais medo e a pessoa entra numa espiral de pânico.

Apesar dos ataques de pânico não serem “perigos”, não causando alterações físicas graves, causam um transtorno imenso a todas as pessoas que deles sofrem, pois são impossíveis de controlar ou prever.

O tratamento da ansiedade e dos ataques de pânico deve ser feito através de uma associação de medicação com uma psicoterapia eficaz.

Combater a fobia de Aviões

A fobia de andar de avião é uma das mais comuns mas pode ser muito impeditiva para a vida das pessoas.  Geralmente as pessoas que sobrem de aerofobia têm um medo irracional de sofrerem um acidente de avião, ataque terrorista, morrer ou memso sentirem-se mal no avião e nada poder fazer.

Ficam aqui algumas dicas para conseguir controlar o seu medo de andar de avião:

  • Evite chegar ao aeroporto em cima da hora.
  • Prepare as malas com tempo para não ficar mais nervoso.
  • Inclua na sua mala de mão algo que lhe permita ouvir as músicas que mais gosta ou um livro que lhe interesse.
  • Leve consigo pastilhas elásticas para evitar a pressão nos ouvidos.
  • Durante o voo procure distrai-se conversando ou lendo.
  • Fale com alguem da tripulação para se sentir mais confiante.
  • Evite bebidas alcoólicas ou café
  • A longo prazo deve reccorer ao apoio da psicoterapia para combater este medo.
  • Quando receitados pelo médico, pode tomar um ansíoliticos para se menter mais calmo antes e durante o voo.

5 Coisas que Só os Ansiosos Entendem!

Sofre de Ansiedade? Pois então vai-se entender perfeitamente este artigo. Muitas vezes as pessoas que sofrem de ansiedade sentem-se exclúidos porque existem determinados comportamentos que as outras pessoas não conseguem compreender:

  1. Falta de paciência: as pessoas que sofrem de ansiedade têm muito menos paciência para as situações com que temos de nos deparar no dia a dia. Uma simples viagem de transportes públicos pode- se tornar numa tortura pois parace sempre que demora mais tempo.
  2. Preocupação: situações simples, como ir ao médico ou ao dentista, podem provocar muito preocupação e aumentar ainda mais os níveis de ansiedade.
  3. Esperar por respostas: pode ser simplesmente insuportável esperar por respostas de outra pessoa, mesmo que estas não impliquem várias mudanças
  4. Listas: o medo de nãpo conseguir organizar todos os compromissos  faz com que as pessoas ansiosas façam listas constantemente. Por outro lado as listas ajudam a reduzir a ansiedade.
  5. Imprevistos: As pessoas que sofrem com ansiedade não lidam nada bem com emprevistos! Podem despelotar crises de ansiedade nos momentos menos oportunos.

O ataque de pânico pode provocar um ataque cardíaco?

Geralmente o maior medo que temos quando estamos com um ataque de pânico é que o nosso coração pare a qualquer momento. Mas, na verdade, é quase impossível que isto aconteça.

A elevação do nível de adrenalina no sangue aumenta a nossa consciência de perigo eminente e exacerba todos os sintomas causados pela ansiedade extrema.

Muitas vezes sintomas como a falta de ar, a taquicardia os suores frios e a sensação de desmaio são confundidos com um ataque cardíaco eminente, mas estes sintomas são apenas a resposta natural do nosso organismo ao facto do sistema nervosa estar a ser demasiado estimulado.

é até bastante improvável que, durante o ataque de pânico, a pessoa desmaia, uma vez que os valores de tensão têm tendência a subir e não a descer.

 

Ansiedade Hereditária

Muito nos questionamos acerca das causas para os disturbios ansiosos. Pois, alguns estudos indicam que, em parte, pode haver uma predisposição genética para desenvolver sintomas ansiosos.

Estima-se que entre 30 a 50% dos disturbios de pânico ou de agorafobia estão ligados a causas genéticas. Neste caos é comum que os primeiros sintomas ansiosos surjam na infância ou no início da adolescência.

Os tudos explicam que a hereditariedade nestes caos é responsável por uma  atividade muito elevada do circuito cerebral que interliga o sistema límbico (emoções), o córtex pré-frontal (planificação e tomada de decisões) e o mesencéfalo (movimento e dor). Isto significa que, desde crinaças, o comportamento vai ser diferente, reagindo de forma excessiva a possíveis ameaças.

Existe portanto um risco elevado de os comportamentos ansiosos e depressivos sejam herdados de pais para filhos, o que muitas vezes é potenciado pelos comportamentos observados pelos mais novos.

Combater os Pensamentos Negativos

É muito frequente as pessoas que sofrem de ansiedade serem constantemente inundadas de pensamentos negativos.

Estes pensamentos preendem-se com diferentes coisas dependendo do que amis afeta as pessoas. Para as pessoas hipocondríacas os pensamentos amis comuns são sobre doenças. Para as pessoas que sofrem de fobia social, os pensamentos são geralmente relacionados coma humilhação que podem sentir no meio das outras pessoas. Estes pensamentos aumentam os graus de ansiedade e prejudicam a vida da pessoa, pelo que é necessário controlá-los.

Existem algumas estratégias para controlar estes pensamentos mas, se estes forem muitolimitadoes, por vezes é necessário recorrer a psicoterapia.

O primeiro passo passa por perceber quais são estes pensamentos e em que ocasiões surgem. Por exemplo, um pessoa que sofra de fobia quando é exposta a situações das quais é difícil “fugir” vai pensar “eu vou entrar em pÂnico e toda a gente vai achar que estou doido”. Este pensamento é o responsável pelo aparecimento do pânico e não a própria situação.

É importante libertar-se desses pensamentos. Na verdade é impossivel prever se vai mesmo ter o atque de pâncico e como as outras pessoas pode ou vai reagir. Deve enferntar os seus medos de forma gardual e, cada vez quesurgir um pensamento negativo, deve focar-se numa situação diferente, tentando evitar os sintomas físicos que irão surgir como consequÊncia do pensamento.

 

Medo de Sair de Casa

O medo de sair de casa é frequente nas pessoas que sofrem de ansiedade e de agorafiobia. muitas vezes começa por um certo desconforto e sair de casa, do “ambiente protegido”. Este desconforto vai evoluindo para um isolamento e depois para o medo ou mesmo pânico de sair de casa.

Geralmente este medo surge porque a pessoa associa o facto de sair de casa à probabilidade de se sentir mal ou ter um ataque de pânico. Estar dentro de casa é uma “proteção”.

Apesar deste sentimento de segurança, o medo de sair de casa vai provocar cada vez mais ansiedade. A pessoa começa a entrar em pânico cada vez que pensa em sair de casa. Sair de casa não quer dizer exatamente deixar as quatro paredes, mas sim ter de se deslocar a locais fora da sua zona de conforto.

Muitas pessoas que sofrem deste medo conseguem até sair de casa mas entram em pânico quando se fala de uma deslocação maior que o normal, por exemplo para férias. O medo acaba por afetar a vida pessoal e profissional. Muitas pessoas acabam por necessitar de uma baixa médica por se sentirem inseguras no local de trabalho e não conseguirem lidar com a ansiedade.

Este medo tem de ser enfrentado. Aos poucos, mas tem. O facto de se isolar em casa ou evitar locais que lhe provoquem medo vai limitar a sua vida. Procure sair de csa para fazer atividades que lhe agradem. OI seu cérebro irá receber a informação que é seguro e que não se vai passar nada de mal. Aos poucos o medo vai ser desbloqueado.

Ansiedade e insónias

Muitas pessoas que sofrem de ansiedade têm insónias constantes. A insónia tanto pode ser inicial, porque a pessoa se sente demasiado nervosa para adormecer, como intermédia, acordando a meio da noite e não conseguindo voltar a adormecer.

Muitas vezes acontece que a pessoa acorda em pânico porque teve um pesadelo que parece mesmo real, o que impede que volte a adormecer.

O sistema nervoso, quando é demasiado estimulado acaba por provocar alterações no funcionamento cerebral, que se podem repercutir em alterações no sono.

Geralmente as pessoas que sofrem de ansiedade sentem que a sua mente está sempre ativa. Qualquer estimulo (um som, uma luz mais forte, a presença de outras pessoas) vão impedir que consiga dormir.

Ficam aqui algumas técnicas que o podem ajudar a combater as insónias:

  • Deite-se e levante-se sempre à mesma hora, para habituar o seu corpo à rotina
  • Mantenha o quarto fresco e escuro
  • Utilize  cama apenas para dormir. Não veja televisão ou trabalhe na cama.
  • Faça exercício físico durante o dia. Mas não nas duas horas antes de dormir!
  • Antes de se deitar tente relaxar, fazer actividades calmas que goste (ler, ouvir música)
  • Beba um chá ou leite bem quente antes de se deitar