Arquivo de etiquetas: medo

Como Controlar o Medo de Andar de Avião

Existem muitas pessoas que têm medo de voar de avião. Os tremores e suores frios começam mesmo antes de o avião levantar voo!

Siga estas dicas para ter uma viagem mais tranquila:

  • Marque a sua viagem durante o dia, pois dará-lhe mais segurança.
  • Informe-se sobre o avião e o mapa de voo, o que lhe irá dar tranquiloidade.
  • Converse com outras pessoas: vai ajudá-lo a distrair-se do seu medo
  • Informe-se sobre as estatisticas: saber que a probabilidade de um avião cair é de 1 em 2.783.874 vai tranquilizá-lo!
  • Respire! Durante os momentos de mais tensão pode utilizar algumas técnicas respiratórias para se sentir mais calmo.

Combater a fobia de Aviões

A fobia de andar de avião é uma das mais comuns mas pode ser muito impeditiva para a vida das pessoas.  Geralmente as pessoas que sobrem de aerofobia têm um medo irracional de sofrerem um acidente de avião, ataque terrorista, morrer ou memso sentirem-se mal no avião e nada poder fazer.

Ficam aqui algumas dicas para conseguir controlar o seu medo de andar de avião:

  • Evite chegar ao aeroporto em cima da hora.
  • Prepare as malas com tempo para não ficar mais nervoso.
  • Inclua na sua mala de mão algo que lhe permita ouvir as músicas que mais gosta ou um livro que lhe interesse.
  • Leve consigo pastilhas elásticas para evitar a pressão nos ouvidos.
  • Durante o voo procure distrai-se conversando ou lendo.
  • Fale com alguem da tripulação para se sentir mais confiante.
  • Evite bebidas alcoólicas ou café
  • A longo prazo deve reccorer ao apoio da psicoterapia para combater este medo.
  • Quando receitados pelo médico, pode tomar um ansíoliticos para se menter mais calmo antes e durante o voo.

As 10 Fobias Mais Estranhas

A fobia é um medo irracional e inexplicável, que só quem sente consegue compreender realmente.

Conheça algumas das fobias mais bizarras que existem:

  1. Caetofobia – Trata-se de um medo raro, irracional e persistente de entrar em contacto físico ou visual com cabelo e/ou pêlo.
  2. Crematofobia ou crometofobia – É o medo de lidar ou mexer em dinheiro.
  3. Automatonofobia – Caracteriza-se pela fobia de bonecos, ventríloquos, estátuas de cera e criaturas animadas
  4. Ergofobia – É o medo do trabalho, do compromisso laboral, de tarefas atribuídas, de não socializar com as pessoas do trabalho ou de não ser capaz de conciliar a vida particular e social com a profissional.
  5. Somnifobia – É o distúrbio das pessoas que tem medo de dormir.
  6. Caligenefobia – É o medo de lidar com mulheres bonitas.
  7. Coulrofobia – É o termo psiquiátrico que é usado para aqueles que têm medo de palhaços.
  8. Hipopotomonstrosesquipedaliofobia  – é um distúrbio que se caracteriza pelo medo irracional (ou fobia) de se pronunciar palavras grandes ou complicadas.
  9. Filemafobia – A filemafobia ou filematofobia consiste no medo de beijar ou ser beijado, sendo específico para beijos na boca.
  10. Bromidrofobia – A bromidrofobia é o medo dos odores do corpo ou de exalar mau-cheiro.

Primeiros Sintomas de Ansiedade

Muitas vezes a ansiedade passa despercebida e só é diagnosticada quando os sintomas se tornam realmente mais graves. Na verdade os sintomas iniciais da anseidade, são muitas vezes desvalorizados, o que é grave!

Existem alguns sintomas que podem indiciar que a pessoa está a sofrer de ansiedade:

  • Sensação de medo quase constante, que começa a afetar a vida diária
  • Alterações do padrão de sono, com insónias mais frequentes
  • Episódios de falta de ar e aflição
  • Tensão constante, com repercursões a níveis físicos e mentais
  • Isolamento social e falta de vontade de sair de casa
  • Tremores, principalmente nas mãos

 

Medo de Sair de Casa

O medo de sair de casa é frequente nas pessoas que sofrem de ansiedade e de agorafiobia. muitas vezes começa por um certo desconforto e sair de casa, do “ambiente protegido”. Este desconforto vai evoluindo para um isolamento e depois para o medo ou mesmo pânico de sair de casa.

Geralmente este medo surge porque a pessoa associa o facto de sair de casa à probabilidade de se sentir mal ou ter um ataque de pânico. Estar dentro de casa é uma “proteção”.

Apesar deste sentimento de segurança, o medo de sair de casa vai provocar cada vez mais ansiedade. A pessoa começa a entrar em pânico cada vez que pensa em sair de casa. Sair de casa não quer dizer exatamente deixar as quatro paredes, mas sim ter de se deslocar a locais fora da sua zona de conforto.

Muitas pessoas que sofrem deste medo conseguem até sair de casa mas entram em pânico quando se fala de uma deslocação maior que o normal, por exemplo para férias. O medo acaba por afetar a vida pessoal e profissional. Muitas pessoas acabam por necessitar de uma baixa médica por se sentirem inseguras no local de trabalho e não conseguirem lidar com a ansiedade.

Este medo tem de ser enfrentado. Aos poucos, mas tem. O facto de se isolar em casa ou evitar locais que lhe provoquem medo vai limitar a sua vida. Procure sair de csa para fazer atividades que lhe agradem. OI seu cérebro irá receber a informação que é seguro e que não se vai passar nada de mal. Aos poucos o medo vai ser desbloqueado.

Medo de ter medo

Quem já sofreu de ataques de pânico sabe do que estou a falar: o medo do medo, o medo do pânico!

Um ataque de pânico é um acontecimento extramamente perturbador por tudo o que o caracteriza: falta de ar, aperto no peito, suores frios, medo de morrer e desperesonificação. Estes sintomas marcam as pessoas que já passaram por ataques de pânico e o que mais desejam é que não se volte a contecer.

A memória que fica gravada deste acontecimneto traumático faz com qualquer estimulo interno (dor no peito, suores, tonturas) ou externo (sitios em que seja difícil sair, etc) desencadeie um medo extremo de que o ataque de pânico se repita- Ora é mesmo este medo que leva ao aparecimento do ataque de pânico. Torna-se um ciclo vicioso.

Este medo começa a condicionar completamnete a vida da pessoa. Muitas vezes acontece que a pessoa se torna excessivamente preocupada com o que acontece com o seu corpo, desenvolvendo hipocondria (a qualquer sintoma associa uma doença grave).

Outra das alterações que se torna muito evidente e que as pessoas começam a condicionar a sua vida tendo em conta o medo que têm dos ataques de pânico: evitam determinados lugares ou situações que associam a ataques de pânico anteriores.

Como é evidente rodos estes aspetos acabam por limitar a vida da pessoa: tanto a nivel pessoal como profissonal. é importante combater este medo e deixar de “sofrer por antecipação”.

A psicoterapia é o tratamento mais indicado nestes casos: estuda a origem do problema e ajuda a uma mudança comportamental que irá melhorar em muito estes sintomas.

Medo de praticar desporto

O medo ou mesmo fobia de praticar desporto é uma das consequências da ansiedade e dos ataques de pânico.

A actividade física leva a um aumento do ritmos cardíaco, uma alteração natural, tendo em conta que é um esforço a que o organismo tem de responder. O que acontece é que, quem sofre de ansiedade, associa este sintoma a ocasiões anteriores, nomeadamente a ataques de pânico.

Os sintomas provocados pela prática de esforço como o batimento cardíaco acelarado,  a exaustão e os suores podem-se confundir com alguns dos sintomas dos ataques de pânico. Normalmente quem já passou por ataques de pânico tem por hábito  estar atentos a qualquer alteração ritmo cadíaco o que provoca muitas vezes a fobia à prática de exercício físico.

Esta situação piora quando ocorre o primeiro ataque de pânico durante a prática de um determinado desporto. O cérebro vai guardar esta recordação e vai provocar uma libertação excessiva de adrenalina sempre que tentar repetir o mesmo exercício. O medo de ter novo ataque de pânico faz com que muitas pessoas deistam da prática de desporto, até mesmo atletas de competição.

Mas não nos podemos esquecer que o desporto é fundamental para uma vida saudável, e mesmo para combater a ansiedade. Ficam aqui algumas dicas para quem sofre de ansiedade e quer voltar a praticar desporto:

  • As caminhadas são óptimas! Pode faze-las ao seu ritmo e ir aumentando o mesmo conforme se sentir melhor.
  • Encontre alguém com quem se sinta bem para começar a praticar desporto. Explique a sua situação, de certeza que qualquer pessoa compreende. Ter companhia vai ajudar que não desista tão fácilmente
  • Opte pelos desportos que goste mais e lhe porporcionam mais felicidade. Se possivel ouça música relaxante enquanto pratica desporto.
  • Os ginásios podem não ser uma boa opção para começar: a presença de muitas pessoas no espaço pode potenciar os ataques de pÂnico devido à agorafobia.
  • A natação é um ótimo desporto: o facto de estar dentro de água pode ajudar a reduzir alguns dos sintomas mais perturbadores,

 

 

 

 

 

Como Ultrapassar uma Fobia

As fobias são uma forma de medo irracional de algo que não implica um perigo real. Estes medos causam uma ansiedade enorme á pessoa e limitam a sua vida diária.

As fobias mais frequentes são:

  • Multidões
  • Espaços fechados
  • Alturas
  • Andar de avião
  • Cobras
  • Agulhas
  • Aranhas

As fobias gerlamente têm origem na infância mas também podem aparecer já na idade adulta. A pessoa pode chegar a mudar toda a sua vida em função do seu medo. Muitas vezes estas pessoas isolanm-se para não confrontra o seu medo e desenvolvem patologias ansiosas e depressivas.

Os sintomas de uma fobia abrangem sinais fisicos e psicológicos de apreensão e ansiedade. Estes têm tendência a piorar já souber que se vai confrontar com o seu medo ou se tiver noção que é dificil escapar-se. Os principais sintomas são:

  • Falta de ar
  • Coração a bater rápido
  • Tonturas
  • Dores no peito
  • Suores
  • Sensação de “irreal” (despersonalização)
  • Necessidade extrema de fugir
  • Sensação de desmaio
  • Medo de morrer

Existem várias estratégias para ultrapassar uma fobia. Cada pessoa deve adequar a estratégia ao seu medo. A psicoterapia é fundamental para eliminar a fobia e air de forma diferente

Ficam aqui alguns passos simples que o podem ajudar a perder estes medos irracionais:

  1. Entenda os seus medos: saiba em que situações especificas aparecem as fobias e quando os sintomas se tornam incontroláveis. Tente lembrar-se de quando começou a sua fobia e se houve algum momento marcante que a originou.
  2. Livre-se dos pensamentos negativos. Em primeiro lugar retire a carga negativa relativamente ao momento em que começou a sua fobia. Pegue numa folha e escreva tudo o que pensa me relação ao seu medo. Cada vez que surjam estes pensamentos tente contrariá-los.
  3. Pense racionalmente: Pense no seu medo e no perigo real que este representa. Que mal lhe pode fazer uma aranha? Quando se confrontar com o seu médo é fundamental que entenda que ele não representa nenhum perigo na realidade.
  4. Exponha-se gradualmente ao medo: vá enfrentando situações que lhe provoquem medo de forma gradual e controlada, isto é, comece pelo que lhe provoca algum medo e sempre numa situação em que pode desviar-se dele Gradualmente vá enfrentando situações mais intensas, disassociando os pensamentos relativos ao medo
  5. Celebre as vitórias: cada passo é uma vitória e deve celebrá-la! Partilhe com quem lhe é proximo as conquistas que faz comemore-as.

Ansiedade nas Viagens de Avião

Quem sofre de ansiedade, ataques de pânico, ou, principalmente agorafobia geralmente apresenta um medo descontrolado de andar em transportes públicos, sendo que o avião torna-se o auge destes medos.

E porquê? A explicação é simples: para uma pessoa que sofra de agorafobia um avião é um dos seus piores pesadelos, pois é fechado e cheio de pessoas, e torna-se impossível sair no decorrer da viagens. Também os sintomas provocados pela altitude e alteração da pressão atmosférica contribuem para o aumento da ansiedade, nomeadamente os zumbidos e a pressão que se sente na cabeça.

Apesar de as pessoas no geral acharem que quem tem medo de andar de avião é porque acho que este pode cair, isto não é verdade. A maior parte das pessoas tem medo de não se sentir bem dentro do avião e não conseguir sair de lá ou ter a assistência que necessita. Muitas pessoas sofrem de ataques de pânico antes e durante as viagens de avião devido a este medo irracional.

Se este é o seu caso, ficam aqui algumas dicas úteis para controlar o seu medo e conseguir desfrutar da viagens (ou, pelo menos, chegar ao destino sem sofrer de tanta ansiedade):

  • Informe-se sobre a viagens: saiba em que avião vai e que duração vai ter a viagens. Informe-se sobre o funcionamento dos aviões, luzes habituais, oscilações que possam haver, e perceba que é um sitio seguro. Todas estas informações vão ajudar a que se sinta mais preparado para a viagem
  • Evite consumir álcool, bebidas com cafeína ou alimentos com muito açúcar no dia da viagem e no dia anterior, pois vai impedi-lo de conseguir descansar adequadamente e manter-se calmo. Faça refeições leves e hidrate-se bem.
  • Tenha uma boa noite de sono antes da viagem. Se dormir bem vai sentir-se mais relaxado.
  • Se achar necessário informe a equipa de bordo que tem receio de voar, eles procurarão o seu bem-estar
  • Esteja atento ás instruções de segurança dados antes do inicio do voo. Sentir-se-á mais seguro.
  • Leve consigo alguma coisa que o distraia: pode ser um livro, uma série no tablet ou um jogo no telemóvel. Assim, não se vai focar tanto nos seus medos.
  • Se já está diagnosticado com ansiedade e tem medicação para tomar em SOS leve-a consgo. Tome apenas se necessário, mas só o facto de a ter consigo vai deixá-lo menos ansioso.
  • Pratique a estratégia de relaxamento que mais se adequa a si. Temos aqui várias sugestões.

 

 

Ataques de pânico e claustrofobia

As fobias tratam-se de distúrbios de ansiedade em que a pessoa sente um medo inexplicável face a situações ou objectos. Pessoas que já sofrem de ansiedade ou ataques de pânico estão mais predispostas a desenvolver fobias.

A claustrofobia é uma das mais comuns, em que a pessoa sente um medo imenso de se encontrar em locais fechados (elevadores, avião, sítios com muita gente). Muitas vezes este medo leva ao aparecimento de ataques de pânico.

Os sintomas são fáceis de identificar e ocorrem maioritariamente em locais fechados ou com pouco espaço

  • Sudorese
  • Taquicardia
  • Sensação de aperto
  • Hiperventilação
  • Náuseas
  • Tonturas
  • Zumbidos
  • Desorientação
  • Medo muito intenso de perder o controle

As pessoas que sofrem de claustrofobia devem procurar ajuda psiquiátrica para controlar o seu medo e impedir que este limite as suas vidas.

As principais opções de tratamento são:

  • Exposição ao medo: passa por uma exposição controlada à situação que causa fobia. Se esta situação deixar de ser associada a um medo intenso, é possível deixar de sentir claustrofobia.
  • Relaxamento: aprendizagem de estratégias de relaxamento para utilizar em situações que normalmente causam fobia à pessoa. Também podem ser praticadas técnicas de visualização.
  • Terapia comportamental: permite à pessoa aperceber-se da causa da fobia e comportar-se de forma diferente perante a mesma
  • Medicação: Junto com a terapia psicológica pode ser utilizada medicação (ansiolíticos e antidepressivos) para ajudar a controlar a ansiedade.

Não deixe que as fobias tomem conta da sua vida. Procure ajuda e fale com quem sente o mesmo.