Arquivo de etiquetas: ataques pânico

5-HTP para a Ansiedade

O 5-HTP (5-hidroxitriptofano) é um medicamento natural que ajuda a aumentar os níveis de seretonina, hormona que regula o humor e os níveis de ansiedade.

Este suplemento pode ajudar a controlar os níveis de ansiedade e a regular os sintomas depressivos.  A dose diária deve ser indicada pelo médico mas geralmente são utilizados 100 mg por dia.  Não deve, no entanto, esperar um efeito emediato. Os níveis de seretonina podem levar alguns meses a voltar aos níveis ideais, dependendo da gravidade dos sintomas.

Os principais benefícios deste medicamento são os seguintes:

  • Ajuda a controlar a ansiedade e ataques de pânico
  • Diminui sintomas depressivos
  • Ajuda a induzir o sono e reduzir a frequência/intensidade de pesadelos
  • Tem algum efeito na diminuição de dores de cabeça e dores corporais
  • Regula o apatite
  • Sendo antural

Tremores Causados Pela Ansiedade

Os níveis aumentados de stress fisíológico podem causar tremores numa parte específica no corpo ou mesmo de forma mais generalizada. Os locais mais conuns em que as pessoas referem sentir tremores são as mãos e as pernas.

Este sintoma pode ser bastante perturbador pois a sensação é um pouco “estranha”, é como uma agitação constante do corpo mas de forma “invisível”.  Em alguns casos o corpo (ou parte dele) pode mesmo termer de forma visível e incontrolável durante vários minutos ou memso horas.

Esta sensação é assustadora pois geralmente está associada a uma fraqueza generalizada. A pessoa sente-se encapaz de se por em pé ou executar as tarefas normais. Os tremores acabam por provocar ainda mais medo à pessoa, pois durante as “crises” são incontroláveis e limitadores. Muitas vezes as pessoas acham mesmo que estão a sofrer de um episódio complulsivo.

Os tremores resultam da libertação de energia excessiva acumulada no sistema nersoso. O sistema nervoso está constantemente a ser demasiado estimulado e esta é uma das formas que ele encontra para “descarregar a energia acumulada”. Muitas vezes a insónia  associada à ansiedade potencia também o aparecimento de tremores.

A melhor forma de eliminar os tremores é a prática de atividade física. Não durante o episódio de tremores, mas de forma regular para ajudar o sistema nervoso a libertar a energia acumulada e prevenir estes episódias. O relaxamento e a meditação são também esseniais para dimunuir os níveis de stress fisiológico.

Ansiedade ou Ataque cardíaco?

Um dos principais sintomas da ansiedade são as dores no peito. Este sintoma é também um dos mais assustadores, principalmente quando ocorre durante um ataque de pânico, pois só conseguimos pensar que vamos morrer de ataque cardíaco.

A dor no peito prococada pela ansiedade tem um explicação fácil de entender: a hiperventilação provoca uma sobrecaga dos músculos intercostais, o que leva à sua contração excessiva, provocando dores. Além disto, a diminuição de CO2 no sangue que acontece quando inspiramos demasiado ar, vai fazer com que os vazos sanguíneos se contraiam, não fornecendo  tanto oxigénio aos muscúlos, o  que vai provocar dor.

Ficam aqui as princiapis diferenças entrea a dor ansiosa e a dor cardíaca:

Dor Ansiosa

Dor Cardíaca

 Mais fácil de localizar (geralmente na zona cardíaca) Mais difícil localixar, parece dispersa (em torno do esterno)
 A dor não custuma irardiar (expandir-se para outros locais) A dor irradia (para os braços, costas e maxilar)
 Dor tipo pontada que piora com a inspiração Dor tipo apaerto
 Dura geralmente até 10 minutos Dura geralmente mais de 10 minutos
 Aumneta com o exame físico, quando se pressiona a zona referida Não se altera com o exame físico
 Surge mais frequentemente associado a outros sintomas de ansiedade: tonturas, falta de ar… Pode parecer a qualquer momento, sem haver um momento stressante.

Apesar destas características que as distinguem, a dor ansiosa e dor cardíaca podem muitas vezes ser confundida. É importante que reconheça as suas características e que consiga acalmar-se quando surgem os sintomas. Se tiver dúvidas recorra ao médico para realizar um ECG e análises cardíacas.

 

Porque tenho ansiedade?

Todos nós, em algum momento da nossa vida sentimos ansiedade. A ansiedade “normal” não é prejudicial, pelo contrário, ajuda a motivar-nos e atingirmos determinadas metas. O problema está quando esta ansiedade se torna patológica.

A ansiedade traduz-se pela forma como nós interpretamos um acontecimneto ameaçador. Quando esta percepção se encontra alterada, a pessoa, sem razão aparente, começa a sentir o coração rápido, falta de ar, tonturas e dor no peito, tendo dificuldade em raciocinar corretamente.

Aqui começa um ciclo bastante difícil de quebrar. Se nos preocupamos constantemente com o que vai acontecer a seguir, começamos a “sofrer por antecipação” e o nosso cérebro começa a fazer conecções erradamente, uma vez que liga sempre a nossa preocupaçãpo com o momento ameaçador que foi mal interpretado e causou ansiedade. O cérebro acaba por provocar a libertação de químicos que mantêm o nosso sistema nervoso sempre ativo. Isto é a ansiedade patológica (generalizada)

A pessoa fica com a sensação que está constantemente preocupada e com receio, muitas vezes não sabe bem de quê. O sistema nervoso é estimulado de forma constante. A pessoa não consegue parar e a cabeça fica “a mil”. O receio constante leva muitas vezes ao surgimento de ataques de pânico devido aos niveis intensos de ansiedade. E surgem todos aqueles sintomas fisiológicos…

Apesar de ser difícil quebrar este clico, não é impossível! É fundamental reconhecer precocemente os sintomas de que a ansiedade se está a tornar patológica de forma a atuar o mais rapidamente possível, nomeadamente através da realização de Psicoterapia.

Ansiedade nas Viagens de Avião

Quem sofre de ansiedade, ataques de pânico, ou, principalmente agorafobia geralmente apresenta um medo descontrolado de andar em transportes públicos, sendo que o avião torna-se o auge destes medos.

E porquê? A explicação é simples: para uma pessoa que sofra de agorafobia um avião é um dos seus piores pesadelos, pois é fechado e cheio de pessoas, e torna-se impossível sair no decorrer da viagens. Também os sintomas provocados pela altitude e alteração da pressão atmosférica contribuem para o aumento da ansiedade, nomeadamente os zumbidos e a pressão que se sente na cabeça.

Apesar de as pessoas no geral acharem que quem tem medo de andar de avião é porque acho que este pode cair, isto não é verdade. A maior parte das pessoas tem medo de não se sentir bem dentro do avião e não conseguir sair de lá ou ter a assistência que necessita. Muitas pessoas sofrem de ataques de pânico antes e durante as viagens de avião devido a este medo irracional.

Se este é o seu caso, ficam aqui algumas dicas úteis para controlar o seu medo e conseguir desfrutar da viagens (ou, pelo menos, chegar ao destino sem sofrer de tanta ansiedade):

  • Informe-se sobre a viagens: saiba em que avião vai e que duração vai ter a viagens. Informe-se sobre o funcionamento dos aviões, luzes habituais, oscilações que possam haver, e perceba que é um sitio seguro. Todas estas informações vão ajudar a que se sinta mais preparado para a viagem
  • Evite consumir álcool, bebidas com cafeína ou alimentos com muito açúcar no dia da viagem e no dia anterior, pois vai impedi-lo de conseguir descansar adequadamente e manter-se calmo. Faça refeições leves e hidrate-se bem.
  • Tenha uma boa noite de sono antes da viagem. Se dormir bem vai sentir-se mais relaxado.
  • Se achar necessário informe a equipa de bordo que tem receio de voar, eles procurarão o seu bem-estar
  • Esteja atento ás instruções de segurança dados antes do inicio do voo. Sentir-se-á mais seguro.
  • Leve consigo alguma coisa que o distraia: pode ser um livro, uma série no tablet ou um jogo no telemóvel. Assim, não se vai focar tanto nos seus medos.
  • Se já está diagnosticado com ansiedade e tem medicação para tomar em SOS leve-a consgo. Tome apenas se necessário, mas só o facto de a ter consigo vai deixá-lo menos ansioso.
  • Pratique a estratégia de relaxamento que mais se adequa a si. Temos aqui várias sugestões.

 

 

Como fazer o Desmame de Xanax?

O Xanax (substância ativa: alprazolam) é uma benzodiazepína, usado para tratar ansiedade, ataques de pânico e outros psiquiátricos. Este medicamento atua nos receptores GABA, tendo efeitos depressores sobre o sistema nervoso central.

O uso continuado de Xanax pode casar tolerância e habituação. A descontinuação abrupta deste medicamente pode provocar sintomas de abstinência muito intensos, podendo mesmo levar à morte.

O desmame deve ser feito de forma controlada e acompanhado por um médico. Vão sempre ocorrer alguns sintomas de abstinência, mas podem ser  reduzidos se seguir os seguintes passos:

  1. Se possível procure um psiquiatra. O psiquiatra vai ajudá-lo a fazer o desmame do Xanax e pode até prescrever outra medicação para ajudar neste processo.
  2. Informe-se sobre o processo de desmame. É importante que, antes de começar o processo, se informe dos sintomas de abstinência e da duração do desmame. Mentalize-se de que tem que estar empenhado neste processo e que os sintomas vão desaparecer gradualmente
  3. Diminua a dosagem gradualmente. Nunca deixe de tomar a medicação de um dia para o outro! O ideal é reduzir 10% a cada 3 semanas. Em doses baixas pode ser complicado pois é difícil partir o comprimido em doses tão pequenas, mas a redução lenta vai reduzir em muito os sintomas de descontinuação. Não se precipite!
  4. Tenha hábitos saudáveis – é importante que durante este processo se alimente convenientemente e beba muita água. O exercício físico é também essencial e ajuda a relaxar.
  5. Informe-se com o seu médico sobre suplementos que podem ajudar no desmame, diminuindo os sintomas. O magnésio geralmente é imprescindível neste processo. Existem também alguns suplementos naturais que podem ajudar a colmatar os efeitos do desmame, tais como, o ómega 3 e as sementes de linhaça. Algumas pessoas utilizam calmantes naturais como a passiflora ou a valeriana durante o desmame
  6. Algumas terapias alternativas podem ajudar a controlar a ansiedade e os sintomas de desabituação. As mais conhecidas são o Reiki e a Acupuntura. Informe-se sobre a mais adequada ao seu caso.

Não desespere! O desmame do xanax é um processo lento e um pouco complicado, mas não desista! Quando conseguir terminar o processo vai constatar que a sua qualidade de vida melhora substancialmente.

Ataques de pânico e claustrofobia

As fobias tratam-se de distúrbios de ansiedade em que a pessoa sente um medo inexplicável face a situações ou objectos. Pessoas que já sofrem de ansiedade ou ataques de pânico estão mais predispostas a desenvolver fobias.

A claustrofobia é uma das mais comuns, em que a pessoa sente um medo imenso de se encontrar em locais fechados (elevadores, avião, sítios com muita gente). Muitas vezes este medo leva ao aparecimento de ataques de pânico.

Os sintomas são fáceis de identificar e ocorrem maioritariamente em locais fechados ou com pouco espaço

  • Sudorese
  • Taquicardia
  • Sensação de aperto
  • Hiperventilação
  • Náuseas
  • Tonturas
  • Zumbidos
  • Desorientação
  • Medo muito intenso de perder o controle

As pessoas que sofrem de claustrofobia devem procurar ajuda psiquiátrica para controlar o seu medo e impedir que este limite as suas vidas.

As principais opções de tratamento são:

  • Exposição ao medo: passa por uma exposição controlada à situação que causa fobia. Se esta situação deixar de ser associada a um medo intenso, é possível deixar de sentir claustrofobia.
  • Relaxamento: aprendizagem de estratégias de relaxamento para utilizar em situações que normalmente causam fobia à pessoa. Também podem ser praticadas técnicas de visualização.
  • Terapia comportamental: permite à pessoa aperceber-se da causa da fobia e comportar-se de forma diferente perante a mesma
  • Medicação: Junto com a terapia psicológica pode ser utilizada medicação (ansiolíticos e antidepressivos) para ajudar a controlar a ansiedade.

Não deixe que as fobias tomem conta da sua vida. Procure ajuda e fale com quem sente o mesmo.

Acupuntura para tratar Ansiedade

Já aqui falámos das diversas opções para o tratamento da ansiedade, e a acupuntura é uma delas. Cada vez mais utilizada, esta técnica natural com origem na medicina tradicional chinesa, pode ajudar a reduzir os níveis de ansiedade e mesmo a fazer o desmame de medicação (antidepressivos e ansíoliticos).

A acupuntura baseia-se no pressuposto que, para um a pessoa se sentir bem, tem de existir um equilíbrio saudável entre o corpo e mente. A acupuntura defende que cada sentimento ou emoção está ligada a um órgão do corpo (por exemplo a ansiedade está associada ao Baço)

A atuação baseia-se na aplicação de finas agulhas em pontos específicos do corpo, que irão aliviar a tensão muscular, combater cansaço e contribuir para uma melhoria do estado de humor.

Com um tratamento de acupuntura (uma vez por semana durante alguns meses) e possível aliviar praticamente todos os sintomas da ansiedade (cansaço, insónia, dores musculares, náuseas e taquicardia) e mesmo evitar os ataques de pânico.

Outra das vantagens da acupuntura é a possibilidade de desmame da medicação psiquiátrica, sem sofrer dos já conhecidos efeitos de desabituação. Apesar da medicação ser um aspeto fundamental no tratamento do transtorno de ansiedade, com o tempo causam habituação e podem ter efeitos prejudiciais na saúde da pessoa. Através da acupuntura é possível progressivamente por de lado a medicação,sentindo-se bem consigo mesmo e recuperando a sua vida.

 

Ansiedade em viagem

Já falamos aqui de como a Ansiedade pode condicionar o dia a dia das pessoas, visto que é uma condição que causa alguns sintomas assustadores, tais como: sensação de desmaio, taquicardia, dores no peito, etc. Estes sintomas podem surgir em qualquer altura ou lugar, desencadeando por vezes ataques de pânico. Os ataques de pânico vão criando fobias associadas a certas situações, o que vai impedindo que a pessoa desfrute a vida como fazia antes.

As viagens são sempre situações stressantes para quem sofre de ansiedade. Quer seja dentro do país ou no estrangeiro estrangeiro, o facto de se encontrarem longe dos seus locais de conforto faz com que os níveis de ansiedade aumentem.

O medo de se sentir mal, de ter um ataque de pânico ou de não conseguir encontrar ajuda médica atempadamente, faz com que muitas pessoas tenham medo de viajar para sítios que não conheçam.

Se vai viajar e está com algum receio, ou já sofreu ataques de pânico durante as suas viagens, ficam aqui algumas dicas:

  • Consulte a lista de serviços hospitalares perto do local onde vai ficar de forma a sentir-se mais seguro
  • Leve sempre consigo a medicação que faz em SOS (ansioliticos),  para conseguir controlar a ansiedade ou ataques de pânico
  • Informe-se sobre as técnicas de relaxamento que pode utilizar para controlar a ansiedade. São muito úteis em viagem

Não deixe que o medo e a ansiedade estrague os seus melhores momentos. Com alguns passos simples pode desfrutar da sua viagem e sentir-se bem consigo mesmo.

Efeitos secundários dos ansiolíticos

Os medicamentos ansiolíticos, geralmente do grupo das benzodiazepinas, são recitados em casos de ansiedade, ataques de pânico e depressão, entre outros.  Apesar de serem fundamentais no tratamento destas patologias, o seu uso acarreta algumas consequências, os chamados efeitos secundários ou colaterais.

Esta medicação atua nos neurotransmissores, tais como GABA, serotonina e noradrenalina, atenuando assim a sintomas de ansiedade. Dependendo do ansiolitico que está a tomar, o seu efeito máximo pode só ser atingido algumas semanas depois de iniciar a toma.

Os efeitos secundários destes medicamentos podem ser bastantes perturbadores, principalmente no inicio do tratamento. Entre os mais comuns encontram-se:

  • Sonolência 
  • Agitação psicomotora
  • Esquecimentos (parece que tudo lhe passa um pouco ao lado)
  • Má avaliação dos riscos e perigos
  • Confusão mental
  • Dependência física e psicológica
  • Aumento da irritabilidade e agressividade
  • Falta de coordenação motora
  • Boca seca

Muitos destes efeitos podem causar algum transtorno na vida da pessoa. Fale com o seu médico sobre o que sente e aconselhe-se. Um vez que estes medicamentos causam dependência, não pode deixar de os tomar de forma repentina, pois isto vai causar-se sintomas de abstinência.

Para minimizar os efeitos secundários tente estabelecer uma rotina de sono (por exeplo deitar sempre ás 22 e levantar sempre as 8) e pratique exercício físico diariamente (alivia não só a ansiedade, como a irritabilidade e a sensação de desordenação)