Arquivo mensal: Dezembro 2016

Bournout ou Depressão?

Muitas vezes confundidos, o bournout e a depressão efetam as pessoas de formas diferentes.

O bournout geralment surge sem a existência de uma depressão prévia mas quando não é tratado pode mesmo originar uma depressão.

O  burnout é causado por uma exaustão/stress profissional e, uma vez retirada da situação que lhe provoca essa exaustão/stress, a pessoa melhora significativamente e recupera. No caso da depressão é difícil encontrar um único motivo que dá origem aos sintomas.

Os sintomas muitas vezes são semelhantes: ansiedade, tristeza, apatia, isolamento social, aumneto da agressividade, etc. No entanto, é fundamental perceber qual é a patologia que origina os sintomas de forma a ser tratado da forma mais indicada.

Tricotilomania O Que É?

A tricotilomania trata-se de um transtorno que leva ao comportamento obcessivo de arrancar pelos ou cabelos.

Normalmente este comportamento é desenvolvido como forma de aliviar a ansiedade ou lidar com o stress. Quem sofre com esta doença pode arrancar cabelos, sobrancelhas, pestanas entre outros.

Normalmente as pessoas tentam ocultar este comportamento e encontram formas de disfarçar as marcas. Muitas vezes as outras pessoas não são capazes de entender o problema, o que leva à exclusão social.

O tratamento desta patologia deve ser feita através do controlo da ansiedade (por vezes é necessário medicação). Mas o fundamental é um acompanhamento psicológico e a realização de Terapia Cognitivo-Comportamental.

 

Compreender o Ataque de Pânico

A maioria da população ja experienciou ou irá experiênciar em alguma altura da sua vida um ataque de pânico. É fundamental entendermos o que se passa durante um ataque de pânico para este não criar receios futuros.

O ataque de pânico é originado por um aumento severo  e repentino dos níveis de ansiedade, o que dá inicio a uma cadeia de sintomas muito desconfortáveis:  batimento cardíaco muito acelerado, tonturas, suores, aumento da temperatura corporal, tremores, dormências em algumas zonas do corpo, vertigens, sensação de desmaio, ou sensação de que se está “desligado” do mundo real.

Apesar do pico de atque de pânico durar  em média 10 minutos, a percepção do tempo é alterada e parece que dura muito mais tempo.

Apesar dos ataques de pânico serem inofencivos para a saúde, é frequente as pessoas sentirem muito medo de sofrerem um ataque cardíaco ou de perderem o controlo.

Depois do primeiro ataque de pânico é muito frequênte que a pessoa tenha medo que se volta a repetir, ficando muito atenta a qualquer mudança na reação corporal. Isto cria um ciclo pois o próprio medo pode dar origem a um novo ataque de pânico.

É aqui que se tem de quebrar o ciclo. é fundamental mentalizarmo-nos que o ataque de pânico não representa perigo nenhum para a nossa saúde: não vamos morrer, não vamos perder o controlo. Temos simplesmente de deixar passar e não viver a receá-lo.