Porque tenho ansiedade?

Todos nós, em algum momento da nossa vida sentimos ansiedade. A ansiedade “normal” não é prejudicial, pelo contrário, ajuda a motivar-nos e atingirmos determinadas metas. O problema está quando esta ansiedade se torna patológica.

A ansiedade traduz-se pela forma como nós interpretamos um acontecimneto ameaçador. Quando esta percepção se encontra alterada, a pessoa, sem razão aparente, começa a sentir o coração rápido, falta de ar, tonturas e dor no peito, tendo dificuldade em raciocinar corretamente.

Aqui começa um ciclo bastante difícil de quebrar. Se nos preocupamos constantemente com o que vai acontecer a seguir, começamos a “sofrer por antecipação” e o nosso cérebro começa a fazer conecções erradamente, uma vez que liga sempre a nossa preocupaçãpo com o momento ameaçador que foi mal interpretado e causou ansiedade. O cérebro acaba por provocar a libertação de químicos que mantêm o nosso sistema nervoso sempre ativo. Isto é a ansiedade patológica (generalizada)

A pessoa fica com a sensação que está constantemente preocupada e com receio, muitas vezes não sabe bem de quê. O sistema nervoso é estimulado de forma constante. A pessoa não consegue parar e a cabeça fica “a mil”. O receio constante leva muitas vezes ao surgimento de ataques de pânico devido aos niveis intensos de ansiedade. E surgem todos aqueles sintomas fisiológicos…

Apesar de ser difícil quebrar este clico, não é impossível! É fundamental reconhecer precocemente os sintomas de que a ansiedade se está a tornar patológica de forma a atuar o mais rapidamente possível, nomeadamente através da realização de Psicoterapia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *